Militância homenageia professora Josy

Fui agredida por fotógrafos, diz Josy, desmentindo jornal carioca que atribuiu a agressão a militantes petistas

Nesta sexta-feira (9), a professora Josephina Bacariça será homenageada, às 20h00, por militantes do PT e da CUT na casa do companheiro José Genoino.

Para quem não lembra, a professora Josy foi citada em matéria do jornal O Globo, de 29 de outubro (Confusão na votação de réus do mensalão), como uma das pessoas supostamente agredidas pela militância que estava no local para acompanhar Genoino e garantir seu legítimo direito de votar sem ser ofendido.

Ao contrário do que diz o texto do jornal carioca, Josy foi empurrada por fotógrafos e socorrida justamente pelos militantes que a repórter afirma que a agrediram. A professora fez questão de mandar uma carta para o jornal desmentindo a versão da repórter, mas seu texto ignorado.

Leia abaixo os textos do jornal O Globo e, na sequência, o que a professora Josy encaminhou ao jornal:

29 de outubro de 2012

PT | Rui Falcão | O Globo | País | BR

Confusão na votação de réus do mensalão

SÃO PAULO Condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção ativa e formação de quadrilha no julgamento do mensalão, o ex-ministro José Dirceu e o ex-presidente do PT José Genoino levaram militantes do partido a tiracolo para evitar que fossem hostilizados na hora de votar – e o resultado foi tumulto e bate-boca envolvendo apoiadores, eleitores e jornalistas. A tensão foi maior na Universidade São Judas, no Butantã, Zona Oeste de São Paulo, onde a votação de Genoino terminou com pancadaria e cenas de vandalismo.

Militantes do partido xingaram e bateram em repórteres que tentaram se aproximar do ex-dirigente petista, além de derrubar eleitores que chegavam para votar. Uma delas foi a aposentada Jose Bacarácia, de 82 anos, que usava bengala. Aproximadamente 50 pessoas formaram um cordão em torno de Genoino e caminharam pelos corredores empurrando cadeiras e chutando lixeiras. O vidro do mural de avisos da universidade foi quebrado e o equipamento de fotógrafos e cinegrafistas, danificado.

Um dos agressores foi o coordenador da Comissão de Ética do PT paulista, o advogado Danilo Camargo, que empurrou o humorista Oscar Filho, do programa “CQC”, da TV Bandeirantes, para uma das salas e o agrediu com socos no rosto. Ele foi atendido na enfermaria do colégio eleitoral.

Procurado depois pelo GLOBO, Camargo disse ter sido provocado pelo humorista antes e depois da votação. Ele admitiu que o grupo perdeu o controle:

– Era uma massa de gente. Foi uma loucura. Estava difícil controlar.

Genoino vestia uma bandeira do Brasil como capa e a usava para esconder o rosto e não ser fotografado. Em meio à confusão, agitava o braço esquerdo com o punho cerrado e não respondia às perguntas de jornalistas.

Ao chegar à Escola Estadual Princesa Isabel, no Bosque da Saúde, Zona Sul de São Paulo, para votar, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu ouviu gritos de apoio da militância petista, em maior número, e de eleitores que o chamavam de “ladrão”. Os dois grupos bateram boca dentro do colégio eleitoral, mas não houve agressão. Dirceu não quis dar entrevistas.

– Só vou falar quando acabar o julgamento – afirmou o ex-ministro, cujas penas por causa de seu envolvimento no mensalão ainda serão definidas pelos ministros do STF.

Humoristas tentaram entregar maços de cigarro tanto a Dirceu quanto a Genoino, numa referência à possibilidade de eles virem a ser presos em função das condenações no Supremo. No caso de Dirceu, integrantes do “CQC” tentaram entregar a ele uma revista “Playboy”, mas ele não pegou.

Passadas as eleições, apoiadores dos dois petistas esperam contar com a adesão do partido à tese defendida por eles de que o julgamento domensalão foi “político” e de “exceção”. Ontem, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse não querer “revanche” com o julgamento domensalão tucano:

– Não quero que julguem o mensalão tucano da mesma maneira, o Supremo devia funcionar como Corte isenta e não se deixar levar pelo clamor da mídia, pela opinião pública. Tem que julgar de acordo com provas e respeitando a presunção da inocência, o direito à ampla defesa – afirmou Rui Falcão, que anunciou a divulgação de uma nota do partido nesta semana sobre o tema. ( Márcia Abos, Tatiana Farah, Thiago Herdy e Marcelle Ribeiro)

Carta ao jornal O Globo

Em referência à matéria de O Globo do último dia 29, sob o título “Confusão na votação de réus do mensalão”, em meio a várias inverdades publicadas, uma em especial revela o desleixo com que o jornal trata a informação que chega ao leitor. É a seguinte:

…Militantes do partido xingaram e bateram em repórteres que tentaram se aproximar do ex-dirigente petista, além de derrubar eleitores que chegavam para votar. Uma delas foi a aposentada Jose Bacarácia, de 82 anos, que usava bengala… (O Globo, 29/10/2012)

Contradizendo, ou melhor, esclarecendo os fatos, para que a verdade prevaleça, segue o depoimento da “aposentada” que teria sido “derrubada” por “militantes”, a professora Josephina Bacariça.

¨No tumulto noticiado pela impressa, como sempre, faltaram com a verdade, o que é absolutamente esperado e habitual. Fui empurrada pelos desesperados que queriam alcançar o Genoíno e só não fui pisoteada porque outras pessoas mais solidárias e mais civilizadas me levantaram. Os jornalistas, no desespero de chegar até o alvo, não respeitavam nada: corriam, empurravam, pisavam, atropelavam quem estivesse na frente. Muito lamentável! Mas não estranho, em se tratando de quem estava ali para cumprir uma tarefa: provocar, desrespeitar e causar um tumulto para ilustrar seu programa de T.V. que nada tem de cultural ou informativo. O objetivo era ridicularizar, desrespeitar o Genoíno de forma mais vil que se pode imaginar, desrespeito também para com pessoas sérias responsáveis que ali estavam para se solidarizar com ele – a quem respeitamos pelo conhecimento que temos do seu currículo de vida, digno como poucos. Lamentamos pelos profissionais da imprensa que não se importam de contribuir para destruir os valores morais e éticos da sociedade.¨

Professora Josephina Bacariça
(Ex-presidente da Comissão de Justiça e Paz de São Paulo)

Anúncios
por vagnerfreitascut

Um comentário em “Militância homenageia professora Josy

  1. Espera, PT e CUT estão/SÃO juntos? tem o mesmo princípio? Ou o PT dominou a CUT que deixa de ser um sindicato de trabalhador pra ser braço eleitoral??? Aí não dá ne?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s