O endividamento das famílias e a crise econômica

Famílias estão endividadas por causa dos juros abusivos do cartão de crédito

Na última década o crédito cresceu muito no Brasil. A geração de emprego e renda fez a classe trabalhadora e a sociedade em geral se sentir mais segura e usar o crédito para comprar geladeira, máquina de lavar roupas, fogão e até carros e imóveis.

Matéria de hoje do jornal O Globo diz que as famílias brasileiras estão endividadas e induz o leitor a acreditar que o endividamento pode frear a recuperação da economia. A tese foi baseada em uma pesquisa do  Banco Central que constatou que as dívidas representavam 18% da renda em 2005 e hoje correspondem a 44%. Segundo eles, o crédito imobiliário e o consumo são os “vilões” desse endividamento.

Uma olhada bem rápida nos dados da pesquisa de endividamento e inadimplência do consumidor, realizada pela Confederação Nacional do Comércio mostra um quadro diferente. Em um ano – de maio de 2015 para maio de 2016 -, o número de famílias endividadas caiu de 62% para 58%, porém as contas em atraso aumentam de 21% para 23%, e o percentual de famílias que não terão condições de pagar subiu de 7,4% para 9,0%.

Diante desses números, parece razoável o argumento de que estamos todos endividados e que um novo ciclo de crédito para retomada do crescimento econômico seria inviável.

O detalhe é que a pesquisa também mostra que 77% das dívidas se referem exclusivamente ao cartão de crédito, que cobra mais de 410% de juros ao ano.

A cobrança de juros extorsivos é, na verdade, o principal responsável pelo endividamento familiar. O financiamento de carro, responde por apenas 11% desse endividamento. O de casa própria por 8%.

O que o Brasil precisa urgentemente é de um programa de renegociação de dívidas, para ajudar os trabalhadores e as trabalhadoras a trocar dívidas de cartão que são caríssimas por outras mais baratas, como consignado ou crédito pessoal.

Não dá para recuperar a economia sem recuperar o consumo. Só recuperando a capacidade de consumo o Brasil voltará a crescer e gerar emprego e renda, alavancando a indústria e o comércio, retomando o crescimento econômico que tanto precisamos para sair da crise.

http://oglobo.globo.com/economia/endividamento-das-familias-pode-frear-recuperacao-19637486

 

Anúncios

Um comentário em “O endividamento das famílias e a crise econômica

  1. Pingback: BC tem de pensar mais nos trabalhadores e menos nos banqueiros. Redução da taxa de juros já! | BLOG DO VAGNER FREITAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s