Temer tira comida da boca do povo e abre a torneira para deputados

No vale tudo para se livrar da Justiça, Temer, o mais impopular presidente que o Brasil já teve, libera mais de 4 bilhões para os deputados amigos.

A conta dessa farra indecente vai, claro, para as costas dos trabalhadores.

Se o país vive uma recessão brutal, enfrenta uma crise fiscal – gasto público maior do que a receita – sem precedentes, que está paralisando diversos serviços prestados à população, é absolutamente inexplicável a farra que Temer está fazendo com o dinheiro público.

Com um déficit nas contas públicas, estimado em cerca de R$ 139 bilhões este ano, Temer liberou inacreditáveis R$ 4,1 bilhões em apenas dois meses para que os deputados votem contra a denúncia de corrupção passiva feita pela PGR.

Continuar lendo

Anúncios
por vagnerfreitascut

Fim da CLT prejudicará também quem já está com carteira assinada

A reforma Trabalhista de Temer é uma tragédia para quem já está trabalhando e quem conseguir entrar no mercado de trabalho nos próximos meses ou anos.

Muita gente ainda não sabe, mas, as mudanças na CLT, vão prejudicar também os 48 milhões de trabalhadores/as – dados da RAIS – que já estão no mercado de trabalho com carteiras assinadas.

É isso mesmo.

Daqui a 120 dias quando o desmonte de Temer entrar em vigor, os contratos formais de trabalho poderão ser alterados. Para isso, bastará uma simples ‘conversa’ entre patrão e empregado, sem a intervenção do sindicato da categoria.

Continuar lendo

por vagnerfreitascut

Só a luta garante

A greve desta sexta-feira, 30 de junho, é mais um passo na construção da resistência e da luta por um futuro melhor para todos.

 

O embate entre o capital e o trabalho é um processo de luta que exige organização, mobilização e capacidade de resistência como qualquer luta de classe.

Só a luta garante.

E, como eu costumo dizer, lutar sempre surte efeito, às vezes, não tão rápido como todos nós gostaríamos. O resultado nem sempre vem de uma vez só, tem de ser construído no dia a dia, nas mobilizações, na resistência, na pressão, nas ruas e no Congresso Nacional.

É importante lembrar que com luta e resistência conseguimos impedir a conclusão do golpe. É isso mesmo. O projeto dos golpistas era destruir o legado e as conquistas dos /as trabalhadores/as, construídas e implantadas nos últimos 13 anos; e, também, acabar rapidamente com os direitos sociais, trabalhistas e previdenciários.

Nós resistimos, lutamos, impedimos que as reformas Trabalhista e Previdenciária fossem aprovadas no primeiro trimestre deste ano, como os golpistas queriam. Estamos acumulando forças para que qualquer decisão tomada no futuro contra os/as trabalhadores/as seja revertida e, juntos, possamos construir um país com justiça e inclusão social, emprego decente, ensino e saúde de qualidade, enfim, com oportunidades iguais para todos e todas.

A greve desta sexta-feira, 30 de junho, é mais um passo na construção da resistência e da luta por um futuro melhor para todos.

Em 6 de julho, dia em que o Senado vota no plenário a reforma Trabalhista, vamos mais uma vez ocupar Brasília contra o desmonte da CLT, do fim do emprego formal, do direito a férias, 13º e carteira assinada.

Nosso papel é lutar, resistir.

E é isso que estamos fazendo cada vez mais desde o fim de 2014, quando parte da mídia e do Judiciário se uniu ao candidato derrotado nas eleições presidenciais e seus aliados conservadores para dar um Golpe de Estado. Sabíamos desde então que o golpe era para acabar com o projeto de distribuição de renda e inclusão social, contra o Brasil, contra a democracia e contra a classe trabalhadora. O projeto dos golpistas é acabar com a soberania nacional, entregar o petróleo e as nossas terras para as multinacionais.

E a nossa resistência surtiu efeito.

Mobilizamos a classe trabalhadora, os movimentos populares e entidades sindicais de todo o mundo, denunciamos os ataques contra os direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, além do ataque contra a democracia no Brasil e impedimos que o golpe se concretizasse como eles pretendiam.

Foi a nossa luta que levou a opinião pública a refletir sobre os reais objetivos do golpista e ilegítimo Temer. Os meios de comunicação, que manipularam as informações e enganaram o povo dizendo que com Temer a economia do país iria aquecer e milhões de empregos seriam gerados, não conseguiram manter a sociedade ao lado do ilegítimo.

O desempenho de Temer despencou. Ele é reprovado por 95% dos brasileiros, segundo pesquisa CUT/Vox. Até o Datafolha desistiu de sustentá-lo e em sua última pesquisa registrou um percentual de apenas 7% de aprovação.

Nossos atos, mobilizações e paralisações contribuíram muito para expor a verdadeira face desse presidente ilegítimo, corrupto e totalmente subordinado ao mercado, aos empresários com quem sempre fez negociatas por baixo dos panos ou nos porões do Palácio do Jaburu.

Nenhum direito a menos!.

Queremos eleições diretas já!, para que a voz do povo seja ouvida e o Brasil seja colocado novamente no rumo do desenvolvimento com inclusão social, distribuição de renda e geração de emprego.

 

 

por vagnerfreitascut

CCJ aprova desmonte da CLT. A resposta da CUT é GREVE!

#SextaTemGreve

A greve desta sexta-feira, 30, que está mobilizando milhares de trabalhadores em todo o Brasil vai denunciar mais uma vez os riscos que a aprovação das reformas de Temer representam para a classe trabalhadora e para o País. É mentira o discurso do governo de que vai ter geração de emprego. O que vai ter é o bico institucionalizado, o fim do emprego formal, que garante direitos conquistados, como férias e 13º salário.

E a aprovação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, na noite desta quarta-feira, 28, do parecer favorável a reforma Trabalhista que promoverá um retrocesso de mais de 80 anos na legislação Trabalhista brasileira, vai mobilizar ainda mais categorias.

Continuar lendo

por vagnerfreitascut

Confiscar FGTS dos demitidos é assalto

Dificultar o acesso do trabalhador a uma proteção paga

no momento de maior fragilidade é mais uma perversidade de Temer

A proposta do governo ilegítimo e golpista Temer de usar parte do FGTS dos demitidos sem justa causa para economizar com o pagamento do seguro-desemprego é um assalto ao trabalhador.

Como eu sempre digo, Temer ajuda a mobilizar a classe trabalhadora para nossos dias de mobilização, paralisação e greve. E essa notícia de que pretende confiscar o dinheiro do FGTS dos demitidos, vai ajudar a parar o Brasil na próxima sexta, dia 30, Dia de Greve, Paralisações e Mobilizações contra as reformas (desmontes) Trabalhista, Previdenciário, Terceirização e, agora, o roubo do FGTS.

Continuar lendo

por vagnerfreitascut

O povo quer Lula de novo

Imbatível em todos os cenários para 2018,

Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve

para quase 50% dos brasileiros

Pesquisa CUT/Vox Populi demonstra de forma cabal que o povo brasileiro reconhece a importância do ex-presidente Lula (PT-SP) e das políticas públicas de inclusão social e distribuição de renda criadas em seu governo (2003-2011).

Apesar do empenho de parte do Judiciário e da  mídia em investigar, vazar informações inconclusas e delações, enfim, espinafrar o ex-presidente mais popular do país desde Getúlio Vargas, Lula aparece disparado em primeiro lugar nas intenções de voto para presidência da República em 2018, com mais de 50% dos votos válidos.

O melhor presidente que o Brasil já teve

49% dos brasileiros consideram Lula o melhor presidente que o Brasil já teve – o percentual mais alto de aprovação (58%) foi registrado em 2013. O tucano Fernando Henrique Cardoso vem sempre em segundo lugar, com 10%, mas nunca conseguiu ultrapassar a marca de 15%, alcançada em abril de 2016.

lula 49

Outros dados da pesquisa CUT/Vox Populi mostram que foram em vão as tentativas de criminalizar Lula e destruir o legado do petista de geração de emprego e renda, combate à fome e à miséria, construção de casas populares, implementação de políticas revolucionárias em áreas como a Educação.  Nos governos Lula e Dilma foram criadas 422 escolas técnicas, 18 universidades federais, 173 novos campis universitários. Mais de 7,1 milhões de estudantes tiveram acesso as universidades.

Os investimentos dos governos petistas contribuíram para melhorar a vida dos brasileiros, é o que responderam 61% dos entrevistados pela CUT/Vox Populi. Outros 27% disseram que a vida não melhorou nem piorou, 10% que piorou e 2% não souberam ou não quiseram responder.

Lula 61

Denúncias vazadas e manipuladas

Mesmo com o percentual dos que ficaram sabendo que Lula foi indiciado pela Operação Lava Jato atingindo estratosféricos 95% – depois de horas e horas de Jornal Nacional esculachando o presidente – 38% o consideram inocente; 69% acreditam que ele cometeu erros, mas fez muito mais coisas certas pelo povo e pelo Brasil; e, 65% acham que o ex-presidente fez mais coisas certas do que erradas.

Lula 95

Lula 38

Lula 69

lula 65

Os percentuais dos que acham que os procuradores da Lava Jato são justos e tratam todos os políticos da mesma maneira ficaram estáveis: em abril era de 45%, em junho foi para 47%.

Já os que acham que eles atacam Lula e os petistas, mas não fazem nada contra os políticos do PSDB e do governo Temer, variaram de 42% em abril para 41% em junho.

Lula 47

 

 

 

 

 

por vagnerfreitascut

Senadores da base de Temer fogem do debate sobre desmonte da CLT

Queremos negociar uma proposta para melhorar a CLT e não retirar direitos conquistados. Se isso não for possível, “vamos construir no Brasil uma greve geral muito, mas muito maior do que foi essa do dia 28 (de abril)”, alertou o companheiro Sérgio Nobre

O Senado convocou uma audiência pública para debater a reforma (desmonte) Trabalhista nesta terça-feira, 16. A sessão foi marcada pela ausência da maioria dos parlamentares da bancada governista – só 16 dos 80 senadores participaram da discussão, a maioria contra a medida que quer rasgar a CLT.  A base de Temer não quis se expor defendendo a nefasta proposta. Por mais que neguem, têm medo de não serem reeleitos em 2018. E nós estamos trabalhando muito para acabar com os planos deles de voltar a Brasília depois das eleições.

Depois de cinco horas de debate em tom formal e cansativo no plenário principal da Casa, onde foi proibido palmas, aconteceu o esperado:  representantes de duas centrais sindicais – CUT, representada pelo companheiro Sérgio Nobre, secretário Geral, e CSB; e ANPT (Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho), defenderam o arquivamento da proposta e os empresários e/ou prepostos defenderam o fim da CLT.

Sergio foi claro, direto e objetivo: o Congresso Nacional quer “enfiar goela abaixo” reformas que o povo não legitimou nas urnas. O ideal para a classe trabalhadora, disse ele, é retirar as  reformas que estão tramitando e discutir uma proposta de maneira democrática, “só quem pode decidir sobre esse assunto são os trabalhadores e os empresários, numa mesa de negociação legítima”.

Continuar lendo

por vagnerfreitascut

Temer: Um ano de tragédias

O golpe completa um ano. Um ano de retrocesso. Um ano de tragédias nos campos social e trabalhista. As projeções otimistas de que bastaria derrubar a presidenta Dilma para economia se recuperar, como sabíamos, não passavam de propaganda política dos golpistas.
Vivemos hoje os efeitos maléficos de uma recessão sem precedentes na história, com juros reais ainda mais altos do que no governo de Dilma, recorde de 14 milhões de desempregados; queda (-5,0%) no volume de serviços prestados, de -5,3% nas vendas no varejo e de -3,8% na produção industrial (no Espírito Santo, a queda foi de 13% em doze meses).
Muitos indicadores e projeções demonstram que a economia não vai se recuperar tão cedo. Muitos analistas, inclusive de mercado, dizem que a economia só voltará a patamares pré-crise em 2020.
A única coisa que Temer fez nesses 365 dias foi pensar medidas de retirada de direitos da classe trabalhadora e dos brasileiros que mais necessitam de políticas públicas para sobreviver com o mínimo de dignidade.
Mal assumiu, Temer encaminhou medida para congelar por vinte anos gastos com saúde e educação. O Congresso Nacional mais reacionário da historia, com muitos aliados do golpe, ignorando que isso afeta de maneira dramática os serviços nos hospitais e escolas públicas, aprovou a medida. Com canetadas, acabou com programas como o “Ciência Sem Fronteira” e o “Farmácia Popular”, reduziu em 52,5% o orçamento do programa de “Reforma Agrária e Governança Fundiária” e em 14,4% o de “Proteção e Promoção dos Direitos dos Povos Indígenas”, entre outros.
O programa de privatizações dos golpistas é outra paulada nos sonhos de uma Nação mais justa e para todos. Temer e seus parceiros estão dilapidando a patromônio público dos brasileiros, vendendo empresas públicas valiosas como a Petrobrás a preço de banana.
E para completar, Temer está usando todos os métodos que aprendeu no submundo da política para aprovar suas propostas de desmonte da Previdência e trabalhista, na verdade o fim da aposentadoria e da CLT.
Em um ano de governo Temer não tivemos uma única notícia boa para o Brasil ou para os brasileiros. O golpe, agora todos sabem, está sendo uma tragédia para o país. E a nós resta lutar para restabelecer a democracia, os direitos dos trabalhadores, o patrimônio nacional e um dia, o orgulho de ser brasileiro.

por vagnerfreitascut

Delfim ataca sindicatos para defender precarização

Criticar terceirização não é artimanha, como diz Delfim,

é luta por emprego decente

Em artigo publicado na Folha de S Paulo desta quarta-feira (5), o ex-ministro da Fazenda de Costa e Silva e Médici, embaixador e assessor de outros ditadores, Antonio Delfim Netto, usa a tática da mentira, da enganação, de ataque aos sindicatos como arma para defender a terceirização irrestrita, que reduz os salários e aumenta os lucros dos empresários. O título é apenas uma provocação barata, uma tentativa de jogar o leitor contra os sindicatos: “Campanha contra terceirização é artimanha dos sindicatos”, leia aqui .

Delfim sabe que, no Brasil, terceirização é sinônimo de precarização e uma forma de burlar a lei. Terceirização tira direitos dos/as trabalhadores/as sim, ao contrário do que ele afirma em seu artigo. As terceirizadas não cumprem a CLT e a prova disso são os milhares de processos na Justiça do Trabalho de terceirizados demitidos sem receber sequer os últimos salários, sem direito a seguro-desemprego porque o patrão não depositou FGTS, nem o INSS, nem nenhum imposto devido. E o que fazem os donos das terceirizadas? Fecham as portas, somem do mercado; e, depois, no futuro, abrem com nova razão social, em nome de um laranja.

Continuar lendo

por vagnerfreitascut

Sob pressão, Maia recua e adia votação do PL que libera terceirização

Terceirização que Temer quer aprovar mata, mutila, escraviza e humilha trabalhadores

A CUT e as demais centrais conseguiram nesta segunda-feira (6) adiar a votação da ampliação da terceirização que poderia ser aprovada por um acordo de líderes da base do governo do golpista e ilegítimo Michel Temer.

Depois de uma reunião com os sindicalistas, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), se comprometeu em não colocar em votação o PL 4302, Projeto de Lei que trata de trabalho temporário e terceirização sem limites, enviado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, aprovado na época e arquivado pelo ex-presidente Lula, em 2003.

Continuar lendo

por vagnerfreitascut