CUT debate desenvolvimento da América Latina com Lula e intelectuais na próxima segunda (21)

Na próxima segunda (21), a Central Única dos Trabalhadores participará de um encontro com o presidente Lula e intelectuais da América Latina em São Paulo para estabelecer um plano de trabalho para o desenvolvimento e a integração da América Latina.

O encontro promovido pelo Instituto Lula é o segundo de uma série de três reuniões dentro da Iniciativa América Latina.  Participei do primeiro, em agosto do ano passado (foto acima) e, agora, o companheiro Artur Henrique, secretário adjunto de Relações Internacionais, é quem falará em nome da CUT.

Leia abaixo mais informações sobre o evento.

Instituto Lula reúne intelectuais para debater caminhos para o desenvolvimento e integração da América Latina

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva irá se encontrar nesta segunda-feira (21) com 30 intelectuais sul-americanos na busca por caminhos progressistas para o desenvolvimento e integração da América Latina, numa atividade promovido pelo Instituto Lula. “O objetivo deste encontro é identificar uma agenda prática de reflexão, mas também de ação. Definir um plano de trabalho para o desenvolvimento e a integração da América Latina”, explica Luiz Dulci, diretor do Instituto Lula e coordenador da Iniciativa América Latina, que junto com a Iniciativa África e o Memorial da Democracia formam os três eixos de trabalho do Instituto Lula.

O evento, restrito para convidados, vai reunir grandes intelectuais do Brasil e de oito países sul-americanos. Entre os estrangeiros confirmados estão Aldo Ferrer, que já ocupou os cargos de ministro da Economia e da Fazenda da Argentina e é o atual embaixador do país na França; o senador uruguaio Alberto Couriel; Lara Castro, ex-ministro das Relações Exteriores do Paraguai no governo Fernando Lugo; Carlos Ominami, ex-ministro da Economia do Chile; Luis Maira, ex-ministro de Planejamento e Cooperação do Chile; Fander Falconi, ex-ministro das Relações Exteriores do Equador; Salomon Lerner, ex-primeiro ministro do Peru e Moira Paz Estenssoro, ex-senadora boliviana. Os brasileiros confirmados são o ministro Celso Amorim, Luciano Coutinho, presidente do BNDES, Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência da República, Samuel Pinheiro Guimarães, Antônio Prado, Emir Sader, Márcio Pochmann, presidente da Fundação Perseu Abramo, José Gomes Temporão, Wanderley Guilherme dos Santos, Theotonio dos Santos, Ricardo Carneiro, Ingrid Sarti, entre outros.

Este é o segundo encontro de uma série de três reuniões programadas pelo Instituto Lula dentro da Iniciativa América Latina. Em agosto do ano passado, o Instituto reuniu organizações sociais para debater a integração. O terceiro evento será um encontro com empresários da região.

“A América Latina deu um salto na última década, com os governos progressistas. A democracia virou regra, a região toda cresceu, e houve avanços sociais tanto na redução da pobreza quanto na redução da desigualdade”, avalia Luiz Dulci. “Essa sintonia permitiu também um avanço na integração. Além do Mercosul, foram criadas a Unasul e a Celac (Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos). Nossa ideia é que esse processo pode e deve continuar avançando, com um planejamento estratégico”.

Representantes do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), da Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e Caribe), da Unasul e da CAF (Corporação Andina de Fomento) estarão presentes e anteciparam que esses órgãos têm interesse em que essa discussão seja aprofundada tendo em vista objetivos práticos de ação.

Após a série de debates, o Instituto Lula vai apresentar os resultados para os governos nacionais, instituições multilaterais e outros atores econômicos, políticos e sociais da América Latina.

Jornalistas interessados em entrevistas com os participantes estrangeiros do encontro podem entrar em contato com a assessoria de imprensa do Instituto Lula.

Hotel Gran Mercure, dia 21 de janeiro, das 9h às 18h

Abertura: Luiz Inácio Lula da Silva

Mesa 1: As transformações da América Latina na última década no contexto global
Marco Aurélio Garcia e Aldo Ferrer

Mesa 2: A integração regional: estágio atual e desafios
Celso Amorim e Luis Maira

Mesa 3: Prioridades para uma agenda comum de trabalho
Luiz Dulci e Gerardo Caetano
Participantes Brasileiros

Celso Amorim – Ministro da Defesa
Luciano Coutinho – Presidente do BNDES
Marco Aurélio Garcia – Assessor especial da Presidência da República
Ricardo Carneiro – Diretor-executivo do Banco Interamericano do Desenvolvimento
Antônio Prado – Secretário-executivo Adjunto da CEPAL (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe)
Márcio Pochmann – Presidente da Fundação Perseu Abramo
Pablo Gentili – Clacso (Conselho Latino Americano de Ciências Sociais)
José Gomes Temporão – Coordenador-executivo do Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde da UNASUL
Marilena Chauí – Professora da Universidade de São Paulo
Wanderley  Guilherme dos Santos – professor Universidade Cândido Mendes
Theotonio dos Santos – Professor da UFRJ
Samuel Pinheiro Guimarães
Emir Sader – professor da  UERJ
Ingrid Sarti – Professora da UFRJ e presidente do Fórum das Universidades do Mercosul
Marcos Costa Lima – Professor da UFPE

Participantes Internacionais

Argentina
Aldo Ferrer – Embaixador na França
Horácio Gonzales – Diretor Geral da  Biblioteca Nacional
Bernardo Kosacoff – economista

Uruguai
Alberto Curiel – Senador
Álvaro Padron –  Fundação Friedrich Ebert
Christian Mirza – Diretor Geral do Instituto Social do Mercosul

Paraguai
Jorge Lara Castro – Ex-chanceler
Gustavo Codas – Ex-presidente da Itaipu Binacional

Venezuela
Ana Maria Sanjuan – Universidad Central de Venezuela

Chile
Carlos Ominami – Ex-ministro da Economia
Luis Maira – Ex-ministro do Planejamento

Colômbia
Gustavo Petro – Prefeito de Bogotá

Equador
Enrique Ayla Mora – Reitor da Universidade Simon Bolívar

Peru
Salomón Lerner – Ex- primeiro-ministro

Bolívia
Ivonne Farah – Universidad Mayor de San Andrés
Moira Paz Estenssoro – Corporação Andina de Fomento

Em Fortaleza, Lula, Dilma e movimento sindical estão com Elmano

Hoje e amanhã estarei em Fortaleza para duas atividades muito importantes. Nesta quarta, levarei meu apoio a Elmano Freitas, nosso candidato na capital cearense. E, na quinta-feira participarei de um debate sobre os rumos do movimento sindical com os companheiros e companheiras da CUT-CE.

Como tenho ressaltado em cada município que visito os trabalhadores não podem ficar alheios às disputas eleitorais porque a escolha dos prefeitos e vereadores é que irá definir se teremos nas cidades o princípio do desenvolvimento com distribuição de renda e inclusão social que iniciamos há oitos anos no governo Lula.

A responsabilidade em Fortaleza é grande: será uma das sedes dos jogos da Copa do Mundo e necessitará de muitos investimentos, que não devem se resumir a construção de viadutos. Temos a obrigação de cobrar que o dinheiro público seja destinado a obras que incluiam a melhoria nas condições de vida dos cearenses.

Por isso, não tenho dúvida de que Elmano é a melhor opção ao representar a continuidade da inversão de prioridades e fazer com que a cidade seja dos cidadãos, mantendo a aposta na democracia participativa, no controle social e na transparência.

Um recente relatório da ONU apontou que a capital do Ceará estará entre as 14 regiões metropolitanas brasileiras com maior crescimento populacional até 2025 e o próximo gestor tem de priorizar a educação e a saúde. Programas como o “Construindo uma Fortaleza sem Miséria”, lançado em junho pela companheira Luizianne Lins, e a educação em tempo integral serão mantidos e ampliados por Elmano.

Também nos deixa satisfeitos saber que o município aplica cerca de 23% de seus recursos em saúde, índice muito superior aos 15% exigidos pela Constituição, fazendo da cidade a que mais investe com recursos próprios no Brasil, desconsiderando os aportes do SUS.

A tarifa social aos domingos no transporte coletivo e a criação de faixas exclusivas para ônibus, serão prioridade, conforme nos garantiu Elmano, demonstrando que Fortaleza está em sintonia com outras metrópoles ao priorizar o ônibus em detrimento do transporte individual.

Acreditamos que a cidade deve ser pensada por todos os cidadãos e por isso a atual administração recriou o Instituto Municipal de Planejamento Urbano com o objetivo de reunir o melhor da inteligência científico-técnica e pensar o planejamento urbano em longo prazo.

Elmano está no PT desde sua fundação. Sério, jovem e com grande experiência administrativa, não tenho dúvidas de que é o nome certo para fazer de Fortaleza uma cidade ainda mais inclusiva.

Em Santo André, movimento sindical está com Grana

Cerca de mil pessoas já lotam neste momento o Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André, onde lideraças sindicais irão reforçar o apoio a Carlos Grana, nosso candidato na cidade. A região do ABC, berço da CUT, já demonstrou que reconhece a competência dos trabalhadores na administração municipal.

São Bernardo elegeu Marinho em primeiro turno, enquanto Donisete Braga, em Mauá, e Mário Reali, em Diadema, lideram as pesquisas. Assim como o companheiro Carlos Grana.

Temos a obrigação de lutar para que o processo de transformação do Brasil, que começou com o presidente Lula e continuou com a presidenta Dilma, tome conta de todo o Grande ABC, por meio de parcerias com o governo federal em programas como o Minha Casa, Minha Vida. Em Santo André, Grana planeja construir 3 mil unidades habitacionais com recursos do governo federal e do governo estadual, priorizando famílias com renda de até 3 salários mínimos.

O emprego também será um dos eixos centrais no programa de nosso candidato, por meio da geração de mais e melhores empregos, especialmente em setores de alta tecnologia, que possui grande potencial para crescimento.

O diálogo com os trabalhadores é prioridade absoluta para a CUT e Grana comprometeu-se a criar uma mesa de negociação permanente entre funcionários e governo para discutir salários, plano de carreira, entre outros pontos.

E ao contrário do que prega o candidato do PSDB em São Paulo, que deseja fazer do ambiente escolar um espaço para identificar criminosos, o representante do PT em Santo André pretende transformas as escolas em equipamentos-base para formação esportiva e prática do lazer. Já na saúde, o objetivo é implantar mais 4 UPAs 24h.

Ousadia e dedicação, essas são as marcas dos representantes da classe trabalhadora e por isso estamos com Grana.